28 de março de 2009

Gran Torino




Clint Eastwood, nos filmes que tem realizado, põe o dedo na ferida. Tem o talento e perícia de contar, de forma franca , histórias que, independentemente do enredo, desnudam o que há de humano em cada um de nós.
É um exímio contador de histórias, e dispensando viagens turtuosas em busca de uma forma diferente, é original na sua serenidade. Tem a coragem de não ornamentar. Ou não fosse ele um dos ultimos contadores de histórias que reporta às origens do cinema americano.
Vi Gran Torino e fiquei estarrecida e comovida, como Clint Eastwood quase sempre me deixa. É memorável a sua sabedoria e capacidade de síntese.

Sem comentários: